DIS 03×05: Morrer tentando

Jornada nas Estrelas Discovery – Terceira Temporada – Episódio 5


Mais uma vez sem rodeios, mostrando o equilíbrio entre tramas episódicas e um arco geral, Discovery já pula direto para o próximo destino apresentado: a sede da Federação e da Frota. Mas como já era de se imaginar, a recepção não é como eles esperavam. Neste momento, aliás, a série está numa encruzilhada: esta estrutura está se tornando repetitiva e previsível, a nave chega na nova localização e apesar de alguns bons sinais, logo tudo é frustrado levemente.

(Apesar da crítica, todavia, não sei como seria possível escapar disso. Talvez um capítulo que ocorresse o inverso, em que eles frustrem os outros, poderia ser uma saída.)

De qualquer forma, o diferencial está se tornando a forma como essa frustração ocorre. Em todos os episódios, com maior ou menor refino, o retrato dessas sociedades-que-não-são-bem-o-que-se-esperava é muito sóbrio, todas as vezes é possível entender porque aqueles personagens não estão se comportando como os heróis gostariam.

Aliás, um destaque para o resgate dos acordos temporais feitos após o enredo de Enterprise, ficando mais claro os impactos daquela trama para o futuro e o estranhamento que os viajantes podem causar naquele período. Gostei muito da opção de manter a Guerra Temporal como algo de domínio público no século XXXII.

Retornando às frustrações, o comando da Federação não se impressionou com a chegada da Discovery e foi necessário que a tripulação provasse seu valor em uma missão. Há alguns elos fracos no arco e nas coincidências que envolveram essa aventura, mas não comprometem o enredo como um todo.

Por outro lado, o debriefing que uma personagem faz com um especialista ficou muito lacunar, excessivamente misterioso e com um final em aberto; vamos torcer para isso se amarrar no final. Por enquanto, desembocou em mais um recurso repetitivo da temporada: o personagem em estado catatônico. Provavelmente haverá implicações referentes ao universo da personagem com a trama atual: o gancho temático é interessante, o recurso que ficou repetitivo.

Ao final, a missão que a Discovery enfrenta não teve muito em tensão, e sim um drama razoável mas importante para dar destino a uma personagem mais coadjuvante da tripulação. O que foi positivo por duas razões: primeiro para distribuir melhor a carga dramática do seriado e, segundo, porque fica cada vez mais incerto o retorno da nave para sua época.

Bom (3/5)

mais um capítulo sabendo dosar bem a natureza episódica de ST com o formato serializado mais moderno. o recurso narrativo de que o destino não era bem como o esperado vEm se tornando repetitivo, mas também continua com enredos bem sóbrios.

Frota Estelar: uma das naves vistas na sede da Federação foi a Voyager-J. Esta letra foi a mais alta já vista de uma mesma identificação de uma nave, ao lado da Enterprise-J, que serviu em algum momento do século XXVI. Também havia a USS Nog, que, confirmado pelos produtores, foi nomeada em homenagem ao personagem de DS9, que aparentemente teve um futuro muito promissor após o seriado.

DNA do mal: durante o interrogatório de Georgiou, é revelado que, durante pesquisas séculos atrás, descobriu-se um componente genético nos terráqueos do Universo Espelho; o que explicaria o comportamento malígnos dos habitantes do nosso planeta por lá.


Jornada nas Estrelas: Discovery – Terceira Temporada


Além dos comentários, uma pergunta: o que acharam da explicação genética sobre o comportamento dos terráqueos do universo espelho?

Últimos posts

O Brasil no espectro de uma guerra híbrida

O autor desnuda os movimentos subterrâneos – teóricos e concretos – feitos pelo exército, desde a redemocratização mas, em especial desde o governo lula, para reconquistar o poder nacional. Dentre esses movimentos, a deflagração de uma guerra híbrida.

Falling Skies e a noção americana de História

Na luta entre humanos e alienígenas que invadiram a Terra, o herói é um professor de história. Uma honra? Mais ou menos. Além dos problemas de Falling Skies, a História, como disciplina, nos EUA é vista de forma bem diferente.

The Orville – 2ª Temporada

Mais coesa e organizada, a série teve um salto com relação a qualidade de seu humor, sempre cirúrgico. Mas isso, por outro lado, resultou numa temporada praticamente de um tema só: relacionamentos; virando quase uma Comédia Romântica no Espaço.

Publicado por Lucas Palma

Paulistano, desde que me lembro por gente fascinado pelas possibilidades do futuro, em games, filmes e seriados, herança paterna e materna. Para surpresa geral, ao final da juventude descobri fascínio também justamente pelo oposto, me graduando e mestrando em História, pela Universidade Federal de São Paulo. Sou autor de Palavras de Revolução e Guerra: Discursos da Imprensa Paulista em 1932.

2 comentários em “DIS 03×05: Morrer tentando

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: