Arquivos: Resenhas Não Ficção


A Revolução Colombiana

Nos últimos 30 ou 40 anos o conflito armado na Colômbia é uma constante em noticiários e análises, em aulas de geografia e atualidades. Neste livro, o autor tenta explicar as raízes da violência política no país.

Pandemia e Agronegócio

O trabalho de uma vida de Bob Wallace está aqui reunido. Dezenas de artigos escritos nos últimos 15 anos denunciando que epidemias não são “tragédias”; e sim um risco calculado que o Agronegócio aposta para manter suas receitas astronômicas.

Jango e Eu

Uma parte das memórias do antropólogo, cobrindo sua relação com o presidente João Goulart e seus dias como Ministro da Casa Civil de Jango.

As Contradições do Lulismo

Publicado durante o processo que levou ao golpe de 2016, este livro apresenta – de forma um pouco amontoada e desordenada – estudos sobre diferentes contradições dos governos petistas para tentar explicar como foi possível sua queda.

Contra Amazon

Enquanto a Amazon expande cada vez mais seu modelo de negócio, baseado na impessoalidade, baixo preço e contato expresso, este escritor espanhol reúne textos seus para demonstrar como os livros são muito mais que mercadorias.

1930: O Silêncio dos Vencidos

Um dos livros mais importantes sobre a história nacional, ele resgata o ano de 1928, quando os debates sobre Revolução eram intensos no país, mas foram completamente obscurecidos pelo triunfo da Revolução de 1930.

Guerras Híbridas

Nas duas últimas décadas, todos os países vizinhos à Rússia foram atingidos por manifestações e revoltas cada vez mais fortes. Para tentar dar sentido a essa crise sem fim, os intelectuais e autoridades russas criaram o conceito da Guerra Híbrida.

Os sentidos do Lulismo

A imagem do PT como o partido dos pobres e esquecidos está cristalizada na nossa memória; entretanto, nem sempre foi assim. Neste livro, de 2012, Singer demonstra como o Governo Lula conquistou o subproletariado e abriu caminho para profundas transformações no Brasil.

O Choque de Civilizações

Este livro se tornou leitura de cabeceira dos americanos após o 11 de setembro; sendo assim, um dos mais influentes deste século. Mas apesar de se vender como uma grande discussão da humanidade, é apenas mais uma análise de possíveis ameaças aos EUA.

O Império Derrotado

O último Império Colonial a cair, a última revolução no ocidente; o que não falta é relevância à Revolução dos Cravos. Aqui, o autor deseja entender, na verdade, como dela saiu um Regime de Estado de Bem Estar Social.

O Caso Evandro

O assassinato e mutilação do corpo de uma criança numa pequena cidade do pobre litoral paranaense se tornou um dos casos policiais mais bizarros do passado recente no Brasil, sendo apelidado de As Bruxas de Guaratuba.

Dossiê 50

No sábado 16 de julho de 1950, 12 homens, 11 em campo e um no banco, foram responsáveis pela maior tragédia do futebol brasileiro. O que eles têm a dizer sobre a “tarde estúpida”?

Tenentes

Sacrificando o conteúdo pela forma, o livro trata apenas da Revolta dos 18 do Forte, razoavelmente, e paulista de 1924, muito mal. Mas apenas o faz pinçando curiosidades sobre os eventos e envolvidos e criando até um texto agradável, mas despropositado.

Eichmann em Jerusalém

Uma das leituras mais fundamentais, e mais cansativas, do século passado: Hannah Arendt lança profundas controvérsias sobre o holocausto ao analisar a mediocridade de um de seus principais realizadores.

O Expresso Berlim-Bagdá

Um longo e enfadonho livro que toca apenas marginalmente em seu tema, e que é a cara da histografia americana: grandes nomes e grandes eventos, um atrás do outro em minuciosos detalhes.

Bandidos

O que Zorro, Lampião, Pancho Villa e os guerreiros haiduques da península balcânica tinham em comum? Eles eram “Bandidos Sociais”, personagens históricos analisados por Eric Hobsbawm nesta maravilhosa obra.

O Imperador

Através de dezenas de depoimentos de serviçais do palácio imperial da Etiópia, este livro contra o dia a dia de um dos grandes estadistas do século XX, Hailé Selassié – e, especialmente, suas contradições.

O Fim da História e o último homem

Com o final da Guerra Fria, a história teria acabado: não há alternativa para o capitalismo, que seria o estado final do desenvolvimento humano. É o que defende Francis Fukuyama nessa obra que não se trata mais do que uma propaganda, com todos os jargões neoliberais.

Brasil à parte

Composto por textos escritos por Perry Anderson a cada mudança de governo no Brasil – 1994, 2011, 16 e 19 – é uma obra genial de análise distanciada da nossa história recente.

Outubro

Em tom de um grande romance épico, China Miéville narra de forma muito agradável a maior revolução da história. Ou melhor, ele conta a história da Revolução de Fevereiro de trás pra frente.

Vaza Jato

É possível perceber a megalomania dos procuradores; acreditavam ser capazes de iniciar uma guerra civil, e jamais cogitaram estar errados. Ficaram meses atrás de uma fakenews por falta de uma “googlada”.

Operação Massacre

Em junho de 1956, um grupo de militares peronistas tentou derrubar a ditadura argentina; e a alguns quilómetros de distância 12 homens foram presos e executados como se fossem conspiradores. Essa história seria desconhecida não fosse este livro.

A Revolução Argelina

Em uma das independências mais duras da história, uma guerra civil de 7 anos sacudiu Argélia e França, que não quis abrir mão de sua principal colônia após perder quase todo o Império.

O ódio à democracia

A crise mundial das democracias representativas levou a um paradoxo: as pessoas acham que a democracia não é democrática suficiente, está viciada, portanto, elas depositam seus votos em quem fala contra a própria democracia.

A Era do Capital Improdutivo

Um raio-x do Capitalismo Tardio. Demonstra com muitos dados e rigor como atualmente a economia gira em torno da especulação: drenando dinheiro da produção de mercadorias e travando o desenvolvimento da humanidade.

Como as democracias morrem

Contrabandeado como uma grande análise, é uma baboseira do início ao fim: as respostas que eles apresentam deveriam ser a partida da análise, para ir mais a fundo ou desconstruí-las. Ao contrário, o livro apenas endossa as explicações mais superficiais possíveis para a crise política mundial.

Como mudar o mundo

Uma compilação de textos escritos por Hobsbawm ao longo de toda sua carreira que faz uma retrospectiva tanto das obras de Marx quanto da sua repercussão, nos séculos XIX e XX.

Quando acaba o século XX

Neste curto ensaio, a historiadora Lilia Schwarcz propõe que a atual pandemia mundial encerra o século XX. Partindo da obra de Hobsbawm, ela a ignora imediatamente depois, criando alguns problemas em sua análise.

A primeira geração dos FW na F1

A Williams foi a única equipe independente da Fórmula 1 que conseguiu se tornar a força dominante por vários anos. Entretanto, chegar ao topo do mundo na maior categoria do automobilismo não foi fácil, entre 1967 e 1977 a Williams correu com outros nomes e chassis emprestados. Uma história que vale a pena ser conhecida.

Sem lugar para se esconder

O livro que conta a reportagem e a investigação de Gleen Greenwald sobre a espionagem mundial promovida pela Agência de Segurança Nacional dos EUA e empresas de tecnologia americanas. Um dos principais alvos foi o governo brasileiro.

Territórios em Conflito

Por mais de trezentos de seus quatrocentos e tantos anos, São Paulo foi apenas uma vila muito pequena. Em um século ela explodiu e se tornou a quarta maior do mundo. Esse processo, como não poderia ser diferente, foi extremamente caótico e conflituoso.

No espelho do terror

O terrorismo é um fenômeno antigo, mas nos últimos anos adquiriu novas características. Ao invés de ataques à políticos ou instituições, os terroristas passaram a se focar no que fosse causar maior escândalo midiático. Por que? A moda por um tempo foi acreditar no “choque de civilizações”, mas neste livro, a resposta é exatamente a oposta: esse terrorismo moderno é a ocidentalização dessa ação.

%d blogueiros gostam disto: