Como mudar o mundo


Como mudar o mundo: Marx e o marxismo – Eric Hobsbawm

Tradução: Donaldson M. Garschagen

Data de Lançamento: 2011 – Minha Edição: 2011 – 423 páginas


Quando se diz que estudar a história é uma forma de não repetir erros do passado; isto é uma formulação marxista – só possível devido a obra de Marx e Engels. E este livro, a partir de seu próprio título, nos faz entender o porquê.

Este foi o último livro publicado em vida por Eric Hobsbawm: um apanhado de textos escritos ao longo de sua carreira – prefácios, artigos, capítulos, comunicações – entre 1964 e 2010, sobre a Teoria da História que colocou o estudo do passado em um local inédito: a análise da história é a base para transformar nossa sociedade.

Escrito em duas partes: uma sobre o estudo direto das obras de Marx e Engels, com análise dos textos de ambos e também da recepção de suas obras em sua época. E outra sobre os marxistas, estes intelectuais e políticos que partiram dessa metodologia de estudo (o marxismo) para compreender melhor a humanidade, por um lado, e transformá-la, por outro. Na primeira parte são textos com recortes mais temáticos, e na segunda com recortes mais temporais.

Um livro difícil, especialmente por se tratar de textos independentes, ainda que com uma seleção bastante coesa compondo uma linha narrativa cronologicamente clara. Com suas 400 páginas é quase que uma versão super compacta dos 12 Volumes da coleção História do Marxismo, que ele editou há décadas.

Não é uma obra para aprender do zero sobre Marx, Engels ou o Marxismo; é preciso algum conhecimento básico sobre essa área para aproveitar a leitura de alguma forma – não precisa ser especialista, mas um “leigo culto”, podemos dizer. Assim como também é uma análise egoísta em um certo sentido: outros grandes marxistas contemporâneos ao Hobsbawm são praticamente ignorados.

Ao final, uma leitura bastante prazerosa ainda que difícil. E também emocionante em alguns momentos, se você, assim como eu, se considerar parte do marxismo, parte desse esforço de compreensão e transformação social iniciado há mais de 100 anos.

Excelente (5/5)

Uma viagem pelo marxismo desde as obras originais de marx aos movimentos marxistas, intelectuais e políticos, do século xx. mas, pela densidade das reflexões e formato de textos compilados, não é uma leitura introdutória do tema, sendo necessário algum conhecimento prévio.

Não precisa ser lido de uma vez só: Claro que é o ideal, afinal a seleção dos textos não é aleatória. Mas, na primeira parte, alguns dos textos compilados são prefácios e comentários sobre produções específicas dos de Marx e Engels, que você pode ler quando quiser se aventurar em alguma delas, como A situação da classe trabalhadora na Inglaterra, O Manifesto, e os Grundrisse. Esta última obra é bem curiosa pois é apontada por Hobsbawm como a mais difícil de ser lida, pois se tratam apenas de anotações. Se pro cara foi difícil ler… imagina pra gente.

O Jovem Marx: Após ler este livro assisti o filme O Jovem Karl Marx, realizado em comemoração aos 200 anos de seu nascimento. O longa contém uma chuva de referências e citações às obras marxistas. Eu li apenas algumas das obras principais de ambos, mas com leitura deste livro aqui, para aprender coisas novas ou relembrar, foi possível perceber várias delas, atestando o cuidado dos realizadores do filme. Muito também havia relembrado ou conhecido nos ótimos vídeos do canal do YouTube Orientação Marxista.

Últimos posts

O Brasil no espectro de uma guerra híbrida

O autor desnuda os movimentos subterrâneos – teóricos e concretos – feitos pelo exército, desde a redemocratização mas, em especial desde o governo lula, para reconquistar o poder nacional. Dentre esses movimentos, a deflagração de uma guerra híbrida.

Falling Skies e a noção americana de História

Na luta entre humanos e alienígenas que invadiram a Terra, o herói é um professor de história. Uma honra? Mais ou menos. Além dos problemas de Falling Skies, a História, como disciplina, nos EUA é vista de forma bem diferente.

The Orville – 2ª Temporada

Mais coesa e organizada, a série teve um salto com relação a qualidade de seu humor, sempre cirúrgico. Mas isso, por outro lado, resultou numa temporada praticamente de um tema só: relacionamentos; virando quase uma Comédia Romântica no Espaço.

Publicado por Lucas Palma

Paulistano, desde que me lembro por gente fascinado pelas possibilidades do futuro, em games, filmes e seriados, herança paterna e materna. Para surpresa geral, ao final da juventude descobri fascínio também justamente pelo oposto, me graduando e mestrando em História, pela Universidade Federal de São Paulo. Sou autor de Palavras de Revolução e Guerra: Discursos da Imprensa Paulista em 1932.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: